Pesquisar neste blog

sábado, 28 de junho de 2014

Conheça o mundo dos leilões de vinhos, que movimentam fortunas e aproximam o ator Brad Pitt, o treinador Alex Ferguson e o cientista Louis Pauster


Por Rogerio Ruschel (*)
O mundo dos vinhos – que chamo de “Vinhedo Global” - tem várias dimensões. Eu vivo no mundo racional, do pequeno comprador discreto e bebedor prazeiroso. Muitas pessoas compram e bebem vinhos para se exibir aos amigos (e entre eles personalidades globais). E lá no outro extremo do perfil de compradores estão os muito ricos, felizardos talvez, que compram vinhos como investimento, para não beber. No começo de junho de 2014 a publicação espanhola Vinetur publicou uma lista de alguns dos vinhos mais caros do mundo – veja abaixo: os valores são em dólares e a garrafa do Eagle, no número 1, tem 6 litros, equivalente a 8 garrafas convencionais.

Mas o espantoso mesmo é ver o que acontece em leilões, onde grandes fortunas são oferecidas por garrafas de vinho. Veja só algumas destas histórias mais recentes.
Os vinhos do treinador escocês

O escocês Sir Alex Ferguson, ex-treinador do Manchester United (2 vezes campeão da Europa e 12 vezes campeão ingles) é proprietário de uma adega com mais de 10.000 garrafas em Londres, onde mora. Decidiu leiloar 5.000 delas em uma série de três leilões em Hong Kong, Londres e pela internet - algumas destas garrafas estão na foto que abre este artigo. O leilão de Hong Kong foi feito no mes de maio de 2014 com 257 garrafas que foram vendidas por um total de 3,8 milhões de dólares - valor que a leiloeira Christie’s estimava para todas as 5.000 garrafas – algumas delas abaixo.

Uma única garrafa de vinho Romanée-Conti 1997 da Borgonha, em embalagem tipo “Matusalém”, com 6 litros (veja foto) alcançou o espetacular valor de 120 Mil Euros durante o leilão realizado em Hong Kong! E eu que achava que um vinho custando mais do que 150 Reais é um vinho caro?  Na foto abaixo Sir Ferguson, agora aposentado, posa com  jogador Di Maria do ex-rival Real Madrid.

O vinho de caridade de Brad Pitt e Angelina Joli

 

Um barril de 60 litros de vinho orgânico (umas 300 garrafas de 750 ml) assinado pelos atores Angelina Jolie e Brad Pitt foi vendido por 24.000 Euros em um leilão no fim de outubro de 2013, na região da Provénce, França. Os proprietários são os simpáticos personagens Mr. e Mrs. Smith e seu sócio frances Perrin, e o dinheiro arrecadado vai ajudar uma cooperativa agrícola que ensina jovens sobre agricultura sustentável em uma região miserável da República Democrática do Congo, perto da fronteira com a Ruanda, área devastada por guerras.

Os atores tem ajudado muitos grupos de agricultura sustentável na África e esta foi mais uma maneira de tirar dinheiro de chiques para uma causa pouco chique. Além disso são conhecidos pela adoção de crianças, se tornando uma família multinacional - veja abaixo. Conheça a propriedade do casal em http://invinoviajas.blogspot.com.br/2014/02/apaixonados-correi-brad-pitt-e-angelina.html



O vinho raro de Luis Pauster
Uma raríssima garrafa de vinho amarelo produzido em 1774 foi vendida em maio de 2012, em um leilão em Genebra, Suiça, por 70 mil dólares, entre um grupo de 779 lotes de vinhos avaliados e vendidos por 2,1 milhões de dólares - veja o tal do vinho abaixo. Um grupo de 12 garrafas de Mouton Rothschild de 1945, considerado "um dos melhores vinhos de todos os tempos", foi vendido por 160 mil dólares. 

O leilão foi realizado pela familia Vercel, uma das mais antigas produtoras de vinhos da região de Jura, na França. Uma história sobre esta familia conta que os Vercel consevaram por oito gerações um lote do tal vinho amarelo de 1774 em uma cave de Arbois e que o químico Louis Pausteur (foto abaixo) teria tomado uma delas para comemorar sua admissão na Academia Francesa, em 1882.

O leilão argentino

Em final de maio de 2014 a casa de leilões Saráchaga leiloou, em Buenos Aires, oito lotes de vinhos de alta qualidade da França, Hungria e Argentina, propriedade de um colecionador frances não identificado. Uma garrafa de Catena Zapata Estiba Reservada 1990 - considerado o mais caro vinho argentino pelo ranking World's Top 50 Most Expensive Wines - foi vendido por 12.400 dólares. O mais caro da lista é o La Tache, da foto abaixo.

Entre os demais lotes vendidos estavam os seguintes:
·       1 garrafa de Romanee-Conti La Tache 1987, por 21.000 dólares
·       1 Petrus Grand Vin 1979: 20.600 dólares
·       1 Château Margaux Grand Vin 1996: 8.800 dólares
·       1 Château Mouton Rothschild 1990: 5.000 dólares
·       1 Château Haut Brion 1990: 11.000 dólares
·       1 Château Lafite 1996: 16.500 dólares
·       6 Royal Tokaji Aszu: 10.500 dólares

 

As 2 mil garrafas da Vega Sicilia
A Vega Sicilia – uma das maiores produtoras de vinhos da Espanha, dona das vinicolas Vega Sicilia, Alion (Ribera del Duero), Pintia (Toro) e Tokaj-Oremus (na Hungría), fez um leilão no começo de abril de 2014 e faturou quase 1 milhão de dólares com a venda de 2 mil garrafas de suas marcas. O leilão foi ralizado pela Sotheby's en Hong Kong. Em 2009 a Vega Sicilia já tinha faturado meio milhão de dólares vendendo garrafas de sua produção em um leilão em Nova Iorque. Está bom assim? Então brindemos aos poderosos!

(*) Rogerio Ruschel é jornalista, enólogo  não em dinheiro para coprar vinho em leilões.



6 comentários:

  1. poderia saber quanto podera valer uma garrafa de porto noval de 1967 engarrafada em 1972

    ResponderExcluir
  2. para resposta podera mandar email para luisisidorocunha@gmail

    ResponderExcluir