Pesquisar neste blog

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Harmonizando cores na Croácia: o tinto do vinho Plavac Malib com o verde da natureza, o vermelho do por-do-sol e o azul do Adriático


Por Rogerio Ruschel (*)
Com quase 2.000 anos de história, os vinhos da Croácia são produzidos tanto com uvas internacionais (cabernet, pinot noir, sauvignon, merlot, etc), quanto com a Plavac Malib, uma uva autóctone que dá origem a vinhos tintos potentes e concentrados. Plavac Malib (que em Croata quer dizer "uva preta e pequena") é um cruzamento entre duas castas tintas: a ancestral Zinfandel, conhecida na Europa como Primitiva e na Croácia como Crljenak Kaštelanski (cacho na foto abaixo), que deu muito certo na Califórnia, Estados Unidos, cruzada com a uva Dobricic, que se imagina ser da costa dalmácia da Croácia, talvez da ilha Solta,  região da foto acima.

Hoje os vinhedos ocupam cerca de 54.000 hectares. Embora o forte sejam vinhos tintos, alguns brancos muito frescos e agradáveis também fazem parte do portfólio de vinhos do país. Veja abaixo foto dos vinhedos de Starigradsko, tombados como Patrimônio Universal da Humanidade pela Unesco, preservados como seriam no tempo dos gregos há 2.000 anos.

Zagreb, com quase 1 milhão de habitantes é a capital (abaixo), mas a cidade mais conhecida é Dubrovnik (fotos abaixo), tanto porque fica no litoral, no “caminho” dos grandes roteiros de turismo internacional de navios de cruzeiro, quanto pelo fato de que Dubrovnik (ao lado de Sibenik e Zadar) serem cidades históricas.


O engenheiro Horácio esteve lá e relata o que vivenciou. Explico. O engenheiro Horácio Barros, de Belo Horizonte, se aposentou e com seus filhos Pedro e Natália está há 18 meses vivendo a Wine World Adventure, uma volta ao mundo do vinho em 170 regiões vinícolas de 24 países, onde percorrerá 100.000 kms em um motor-home (abaixo, o trailer estacionado na Croácia).


In Vino Viajas fez uma parceria exclusiva com Wine World Adventure - a maior enovolta do mundo - para que nossos leitores possam conhecer, direto da fonte, alguns dos melhores destinos de enoturismo visitados pela equipe de Horácio. Este é o quarto post que publicamos, veja a seguir.
Por Horácio Barros (*)

“Foi com ansiedade que chegamos na costa da Croácia. Finalmente o verão europeu havia começado, e nada mais justo que uns dias nas mais famosas praias da Europa, depois de ter pegado tantos dias de frio intenso.” (Veja abaixo a localização da Croácia, no Mar Adriático, e o litoral recortado).
“A Croácia é um dos países mais jovens do mundo, pois obteve sua independência somente em 1991, após a separação da antiga Iugoslávia. Vem apresentando importante crescimento econômico nos últimos anos, reforçado pelo grande número de turistas que vêm descobrindo atrações culturais (como o Museu Nacional da Croácia, em Zagreb, veja abaixo) as paradisíacas praias croatas, a um preço muito mais atrativo do que as famosas praias gregas e provençais, e foi inserida recentemente na União Européia. Este país é a bola da vez do turismo internacional.”
 
“A beleza natural do país é impressionante, com sua costa azul turquesa de águas cristalinas, do mar Adriático.”

“Percorremos com nosso motorhome de norte ao sul pela costa, (cerca de 1800 km) desde Rijeka, passando por Zadar, Split, Brela e Dubrovnik, vislumbrando mais de 1200 ilhas e centenas de navios turísticos, iates, barcos e veleiros, como um formigueiro em alto mar, encalhados nas infinitas enseadas pitorescas de um gritante azul-esverdeado. A maioria das praias são de pedras ao invés de areia, mas são lindas.”

“Começamos por Zadar, uma importante cidade litorânea, repleta de muralhas e edificações medievais, muito cobiçada por turistas de todo o mundo. Ao seu redor, estão localizadas algumas das mais belas praias da Croácia, e é possível ir e voltar no mesmo dia. Além disso, possui muita atração cultural, e um pôr-do-sol de tirar o fôlego!” (veja abaixo)
“Passamos rapidamento por Split, uma cidade mais urbana e com menos infra-estrutura para motorhomes, mas muito bom também pra quem vai ficar em hotel. Descemos então até Brela, uma praia super charmosa, repleta de bares, restaurantes e muita gente bonita.” (Abaixo, uma das ilhas do litoral).


“Depois de uma arrancada de quase 1000 km, chegamos à última cidade croata, a famosa Dubrovonick. Possui belas praias, e um importante centro histórico classificada como patrimônio da Humanidade pela Unesco.” (Muralhas de Dubrovnic, abaixo).


Post originalmente publicado dia 01/10/2013 no site do projeto Wine World Adventure. Saiba mais em http://www.wineworldadventure.com/
Fotos de Horácio Barros ou de serviços de turismo.

(*) Rogerio Ruschel é editor de In Vino Viajas, jornalista e ainda não conhece a Croácia.

2 comentários:

  1. So se fala bem da Croácia e para lá eu vou tb !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho certeza que você vai se surpreender. Boa viagem!

      Excluir